Durante os dias 29 e 30 de novembro e 1º de dezembro, o Sesc 24 de Maio recebe uma programação focada em saúde e informação para corpos soropositivo e público em geral.

Dados do Boletim Epidemiológico da Cidade de São Paulo apontam que a população LGBTQIAP+ negra e periférica é a população mais afetada pelos casos de morte em decorrência da AIDS.

Durante três dias, uma parceria entre Rolezinho BixaNagô e o Sesc 24 de Maio promove espaço para debater as questões da pauta HIV, sobretudo quando inserida no recorte racial e de classe.

 Totalizando quase dez atividades, a programação conta com rodas de conversas, performance, show de Renata Peron e exibição do documentário “Línguas Desatadas” (Tongues untied), de Marlon T. Riggs, que, através de entrevistas, apresenta uma jornada entre duas subculturas marginalizadas, o amor entre homens negros “machões”, imagens de performances e cenas chocantes, expondo as falhas do chamado Novo Cinema Gay – gênero que na maioria das vezes é feito por pessoas brancas.

 Um dos destaques da programação é o bate-papo de abertura, Cenários – Avanços e Retrocessos nas Políticas Públicas da AIDS, com Keila Simpson e Alexandre Padilha, que levantarão questões sobre a ameaça das novas políticas públicas da AIDS no Brasil, um país que sempre foi pioneiro nos estudos em busca de tecnologias para prevenção e tratamento do HIV.

 O ciclo de conversas conta ainda com um bate-papo com o Reverendo Arthur Cavalcante e a Iyàlorixá Cristina de Oxum discutindo o quanto as tradições religiosas são diversas e como trabalham o cuidado e a proteção dos seus fiéis.

 A programação completa será realizada na unidade Sesc 24 de Maio, nos dias 29 e 30 de novembro e 1º de dezembro, toda a programação será gratuita.

 

AGENDA COMPLETA
Rolezinho BixaNagô e Sesc 24 de Maio

29 de novembro – Sexta

(Bate-papo) 18h00 às 20h00 | Cenários – Avanços e Retrocessos nas Políticas Públicas da AIDS– Praça térreo – Gratuito. Sem retirada prévia de ingresso.
Com Keila Simpson e Alexandre Padilha

O Brasil é pioneiro nos estudos e em busca de tecnologias para a prevenção e o tratamento do HIV. Quais os riscos que corremos com as propostas atuais do Estado? Com o que precisamos ficar atentas e atentos na luta por direitos?

Keila Simpson: Travesti ativista do movimento LGBTI+ desde 1991, atua diretamente com o movimento organizado de Travestis e Transexuais desde 1996. É Presidenta da Associação Nacional de Travestis e Transexuais – ANTRA, Coordenadora do Centro de Promoção e Defesa dos Direitos LGBT da Bahia – CPDD LGBT da Bahia, Diretora da Associação Baiana de Travestis e Transexuais – ATRAÇÃO.  Primeira Travesti no Brasil a presidir um conselho nacional. O Conselho Nacional de Combate a Discriminação de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais – CNCD LGBT. Também foi a Primeira Travesti a receber o prêmio Direitos Humanos 2013 da Presidência da República na sua 19ª edição. Honraria concedida pela presidência da república pelos relevantes serviços prestados na Garantia dos Direitos da População LGBT.

Alexandre Padilha: É médico infectologista formado pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) com pós-graduação pela Universidade de São Paulo (USP). Foi ministro da Saúde durante o primeiro governo da ex-presidenta Dilma Rousseff, secretário municipal da saúde de São Paulo de 2015 a 2017 na gestão de Fernando Haddad e atualmente é integrante da Comissão de Saúde da Câmara dos Deputados.

Marcelo Morais: Mediação

(Show) 20h às 20h30 | Eu Sou Guerreira – Renata Peron  Varanda da Convivência 3º andar |Livre | sem necessidade de inscrição, nem retirada prévia de ingressos

 Renata Peron tem 42 anos e nasceu em João  Pessoa, capital  da  Paraíba, em fevereiro de  1977.  Mora  em  São  Paulo  há  14  anos.  Assistente social, cantora, atriz e ativista, Renata é  uma mulher trans que conhece as demandas da população  LGBTI+  e  que  luta  pelos direitos  humanos,  em  especial  por  políticas  de  inserção  de  travestis  e  transexuais  na  área da saúde, educação, trabalho e do entretenimento.

30 de novembro – Sábado

(Bate-papo) 11h às 12h30 | Do “Use Camisinha” à Prevenção entre Pares: Mudanças nos Discursos da AIDS. Com Micaela Cyrino e Juny Kraiczyk  Praça – Térreo | Livre | Sem necessidade de inscrição, nem retirada prévia de ingressos.

 O termo “Use camisinha”, utilizado desde as primeiras campanhas de prevenção ao HIV, ficou ultrapassado com o passar dos anos, dando espaço para outros modos de se pensar a prevenção da infecção, com formas menos impositivas e que trouxessem os sujeitos para centro do debate. No bate-papo, as convidadas debaterão sobre o histórico das campanhas até se chegar nas estratégias atuais de comunicação.

 Micaela Cyrino é artista visual, pintora, escultora e performer. Em sua performance Cura, aborda o estigma da mulher negra vivendo com HIV e seus atravessamentos sociais. Pesquisadora dos direitos sexuais e reprodutivo da mulher negra, militante nas causas de HIV/Aids, negritude e feminismo. Integra o Coletivo Amem.

Juny Kraiczyk é graduada em Psicologia, com Mestrado e Especialização em Bioética pela Faculdade de Ciências da Saúde da UNB. Foi consultora e gerente do Departamento de Prevenção e Controle das IST, do HIV/Aids e das Hepatites Virais (DIAHV) do Ministério da Saúde entre os anos de 2008 a 2014; foi coordenadora geral do Programa Transcidadania da SMDH de SP em 2015 e consultora técnica e coordenadora da área de prevenção das IST/HIV/Aids e Hepatites Virais da Secretaria Municipal da Saúde de São Paulo. Atualmente é diretora da ECOS-Comunicação em Sexualidade.

 Marcelo Morais: Mediação

(Bate-papo) 14h30 às 16h – Prevenção Combinada e Políticas de Inovação para a AIDS no Brasil. Com Dyemison Pinheiro e Beto de Jesus – Praça – Térreo | Livre | Sem necessidade de inscrição, nem retirada prévia de ingressos.

 Controlar uma infecção não é uma questão fácil e precisa de inúmeros métodos para se chegar às suas populações mais vulneráveis. Como o Brasil está pensando suas estratégias de prevenção? O que temos de novo para o controle da AIDS? Essas são algumas das perguntas a serem discutidas no bate-papo que integra a programação do Rolezinho BixaNagô, que tem por objetivo a construção de espaços de debate e interação sobre a pauta do HIV.

 Dyemison Pinheiro, preto, acreano, formado em Medicina pela Universidade Federal do Acre, médico residente em Infectologia do Instituto Emílio Ribas e Alumni da IFMSA Brazil.

Beto de Jesus é gerente da Aids Healthcare Foundation (AHF Brasil). É educador de formação, consultor em Diversidade Sexual e Gênero para organismos nacionais e internacionais, públicos e privados, com diversas publicações sobre o tema. Membro-fundador da Parada do Orgulho LGBTI+ de São Paulo e Diretor para o Brasil da ILGA (International Lesbian, Gay, Bisexual, Trans and Intersex People Association).
Marcelo Morais: Mediação

(Bate-papo) 16h30 às 18h30 | O Papel das Religiões no Controle da AIDS
Com Reverendo Arthur Cavalcante e Iyàlorixa Cristina de Oxum 
– Praça Térreo | Livre | Sem necessidade de inscrição, nem retirada prévia de ingressos.

Acompanhamos diariamente inúmeros discursos de ódio vindos de diversas frentes conservadoras religiosas, mas será que todas as tradições são assim? No bate-papo serão discutidas o quanto as tradições religiosas são diversas e como trabalham o cuidado e a proteção dos seus fiéis.

 Reverendo Arthur Cavalcante é reitor da Paróquia Anglicana da Santíssima Trindade no centro da Cidade de São Paulo. Atua em pastorais envolvendo as temáticas sobre diversidade sexual e direitos humanos em diálogos ecumênicos/inter-religiosos e espaços públicos. É Mestre em Ciências da Religião pela UMESP, com pesquisa sobre HIV/AIDS e Igrejas.

 Iyálorixa Cristina de Oxum é liderança religiosa, candomblecista e ativista pelos direitos das pessoas portadoras de HIV. É coordenadora estadual da Rede Nacional de Religiões Afro-Brasileiras e Saúde (Renafro), compõe o Conselho Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional (Consea), além de já ter atuado como conselheira do Conselho Estadual de Saúde (CES).

Ezio Rosa: Mediação

 

(Intervenção) 18h30 às 20h | AMOR-tecimento – Varanda da Convivência | Livre | Sem necessidade de inscrição, nem retirada prévia de ingressos

 AMOR-Tecimento é uma proposta de happening na qual 20 pessoas negras são convidadas a tocarem-se numa sessão de toques, carinhos, carícias e massagens orientadas, pelo período de duração da projeção de imagens que exibem a história da população negra via as violências imputadas a ela, paralelamente  aos cantos/orikis que evocam Oxum, orixá da riqueza, iabá do  amor, que é solicitada em energia na performance como uma presença de restauração espiritual do amor perdido entre pessoas negras durante o processo da diáspora .

 

(Exibição de filme) 20h às 21h | Línguas Desatadas (Tongues untied) | Marlon T. Riggs | EUA| 1989 | 55′ – ETA – Espaço de Tecnologias e Artes  | 18 anos | Retirada de ingressos com 30 minutos de antecedência no local

 O amor entre homens negros “machões” através de entrevistas, imagens de performances, cenas chocantes, críticas mordazes à homofobia em filmes negros ou apenas pessoas em close recitando poesia e contando suas vidas. As falhas do Novo Cinema Gay são expostas, gênero que na maioria das vezes é feito por brancos, e também é falado da mal definida autenticidade do cinema negro pós Spike Lee. Uma jornada através de duas subculturas marginalizadas.

1º de dezembro – Domingo

(Bate-papo) 11h às 12h30 | Prevenção da AIDS – Alimentação: Imunidade pela Boca. Com Isis Appes (Coletivo Menina Brasileira) – Praça – Térreo | Livre | Sem necessidade de inscrição, nem retirada prévia de ingressos

 Sabemos que para um bom tratamento, ter o consumo dos medicamentos em dia e pensar em formas de se manter saudável são fundamentais, por isso o Coletivo Menina Brasileira, integrando a programação Rolezinho BixaNagô, ministrará uma oficina prática sobre como se alimentar bem para garantir que a imunidade se mantenha forte.

 Isis Appes é chef vegana, bióloga, ativista gastronômica e idealizadora do projeto Menina Brasileira Ecogastronomia, que desde 2012 pauta alimentação sustentável como ferramenta para o auto-cuidado e para transformações de mundo. Atualmente compartilha sua pesquisa e alquimias na cozinha através de oficinas e experiências gustativas em diversos locais de São Paulo e outras cidades, pois acredita que a comida pode revolucionar através do prato.

 Ezio Rosa: Mediação

 

(Bate-papo)  14h às 15h30 | Longevidade de Pessoas Vivendo com HIV: Espaços de Cuidados

Com Sérgio Rodrigues (Casa Brenda Lee) e Rodrigo Franco (Casa Chama) – Praça – Térreo | Livre | Sem necessidade de inscrição, nem retirada prévia de ingressos

 Para se pensar longevidade temos que considerar caminhos de existência e de cuidados, para tanto é fundamental pensar em lugares de sociabilização das diversidades. Desde o início da infecção nos anos 1980, os espaços de cuidados, como a Casa Brenda Lee, tiveram um papel importante para se lidar com as pessoas portadoras do vírus do HIV. Nos anos 2000 aconteceu uma retomada desses espaços com a Casa1 e a Casa Chama. No debate vamos nos conectar com as motivações para a existência desses espaços, suas formas de gestão e como se colocam em meio a infecção.

 Rodrigo Franco é fundador da Casa Chama, uma organização civil,  que  luta para construir e compartilhar estruturas e promover ações que gerem autonomia para corpas transvestigêneres em frentes de saúde, jurídico e cultura.

 Sérgio Rodrigues é graduado em Serviço Social e Gestão de Recursos Humanos pela UNIP, MBA em Estratégia Empresarial e pós graduando em Docência do Ensino Superior ambos pela UNIP. É diretor administrativo financeiro da Casa Brenda Lee desde 2017. Atua há 23 anos no movimento de luta contra aids. Representante do movimento de aids no GT UNAIDS em 2014 e 2015. E em 2016/2017 ocupou o cargo de coordenador técnico na Coordenação de Políticas LGBT da Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania.

Ezio Rosa: Mediação

 

SOBRE RELEZINHO BIXANAGÔ

Rolezinho BIXANAGÔ tem por objetivo a construção de espaços de debate e interação entre a pauta do HIV e as formas de convergência musical LGBTI+ negra periférica. A proposta visa comunicar e conscientizar a população sobre metodologias de prevenção, cuidado e formas de se pensar a longevidade de pessoas vivendo com HIV. O projeto compõe as ações do Festival BixaNagô.

 

SESC 24 DE MAIO

Rua 24 de Maio, 109, Centro, São Paulo

Fone: (11) 3350-6300

Horário de funcionamento da unidade

Terça a sábado, das 9h às 21h.

Domingos e feriados, das 9h às 18h.

 

Acompanhe nas redes:

Facebook: facebook.com/sesc24demaio

Instagram: instagram.com/sesc24demaio