Assim como o peixe homônimo, o cantor e compositor paraibano, Truta, precisa de água doce para sobreviver

Truta lança hoje seu primeiro single, ‘Água Doce’, que é o carro-chefe de seu primeiro EP, de mesmo nome, e que terá quatro músicas, todas compostas por ele. A canção e o álbum, segundo Truta, não possuem um gênero definido, mas têm, assim como ele, várias nuances musicais, dentre elas: pop, música eletrônica e música regional.

A canção fala de amor. Não amor necessariamente de uma forma romântica ou muito positiva, mas amor. O cantor conta que começou a compor pensando em afetividade e arte. Cada palavra sonora contida nos minutos de calma que a música traz, reflete quem é Lucas Truta, não só o artista, mas o ser humano, o filho único, gay e romântico, que dependente de companhia desde criança, pois carrega em si certa solidão.

O EP trata de como é se sentir perdido no universo. Sobre mais um nordestino tentando sobreviver em São Paulo. Em todas as suas músicas conseguiremos ouvir o Brasil, o nordeste, vida, alegria, tristeza, amor, ódio, cobrança sofridas por ele, sua experiência na sociedade do “like” e do “match”, perrengues por falta de dinheiro etc. Truta usa da arte para se livrar de seus demônios e fantasmas passados e, simultaneamente, adocicar a vida dos outros.

Aos 27 anos, Lucas Truta é artista independente e não veio de uma família rica, não é blogueiro com milhares de seguidores, não recebeu ajuda financeira de gravadora para a composição, gravação e produção das músicas. Por isso, sua preocupação inicial não é o mercado, pois não gosta de como o capitalismo transforma tudo em vazio. Truta busca permanecer verdadeiro ao que sente e assim, comunicar através da arte.

 

ACOMPANHE NAS REDES SOCIAS

Instagram
YouTube
Facebook

 


 

texto por Arthur Avila