O mês de julho começa com um clima agitado, exatamente após uma lua cheia em Capricórnio, que nos trouxe à tona temas que têm se desenrolado desde o início do ano. É possível que este momento tenha levantado algum dos seguintes questionamentos: que atitudes temos tomado para seguir nossos objetivos de maneira prática? Estamos de fato entendendo nossas necessidades básicas e lidando com os recursos que temos para atendê-las da melhor forma? Tenho manejado meu tempo para que ele trabalhe a meu favor, como um recurso? Fui comprometido com minhas metas ou tenho deixado os impulsos de momento e escapismo podarem meus planos?

Essa lunação, em especial, conta com uma conjunção com Saturno, domiciliado, e Plutão mais à frente. O foco em responsabilidades que não podem mais ser ignoradas, coisa que já começamos a perceber praticamente, é algo que se fará sentir fortemente durante os próximos anos, visto que os dois planetas são lentos e Saturno se sente muito à vontade em sua expressão “restritiva” e disciplinadora nessa parte do céu (Capricórnio).

Por conta da configuração atual citada, nos sentimos compelidos a agir sobre o que temos planejado, depois de meses apenas amadurecendo expectativas que parecem não encontrar a oportunidade certa para serem realizadas. A questão, nesse momento, seria observar como as oportunidades dependem de perspectiva, pois sempre há uma maneira criativa de solucionar situações complexas e novas que encontremos.

Veremos também que o trígono entre Saturno em capricórnio e Urano em touro, ambos signos do elemento terra, nos ajudará a compreender o contexto presente em nossas vidas (pessoais e em sociedade) de maneira nova, inesperada. Mesmo com situações antigas, nos sentiremos sem chão, pois os recursos e como lidamos com eles estão passando por um processo de mudança intenso, observando políticas mundiais econômicas e sociais – que antes tinham normas rígidas e incontestáveis – sendo derrubadas ou transformadas de maneira a tentarem se adequar ao caos contemporâneo. Observarmos tal influência quando, por exemplo, percebemos o povo se manifestando através da internet (relacionada a Urano) para expressar sua insatisfação relacionada às políticas, digamos, de imigração, ou quando nos perguntamos, num contexto mais individual, se segurança ilusória, trazida pelo comodismo do que já estamos acostumados a lidar.

Nos últimos anos, com Urano passando por Áries, desenvolvemos um novo senso de identidade e como a expressamos de maneira individual. Isso nos dá base para não temer o trânsito deste planeta revolucionário pelo signo das estruturas estabelecidas (Touro), que começou em maio e continuará atuante por boa parte da próxima década. Assim, ao invés de nos apavorarmos ante conflitos ou imprevistos, sem saber se teremos como manter nossa segurança material, devemos olhar para as circunstâncias como um cientista, que encara o desconhecido como um mistério a ser desvendado.

Temos, então, a oportunidade de aprendermos na prática, disciplinadamente, a encontrarmos recursos onde antes não os veríamos, já que os antigos não se disponibilizam.

Marte retrógrado em Aquário

Marte retrógrado no signo da expressão individual em grupos sociais (Aquário) nos aponta o momento em que podemos focar na maneira como agimos sobre a área de nossas vidas em que o planeta aparenta retroceder. Olhando para a casa em que tal trânsito ocorre, teremos mais pistas sobre onde os nossos desejos e ímpetos têm nos levado. Quantos deles temos deixado de lado e como podemos mudar nossa atitude para melhor adequar nossa identidade pessoal ao que expressamos coletivamente?

Os próximos 30 dias têm seu tom definido por uma série de oposições ao guerreiro (Marte), tendo a primeira ocorrido em junho, com Vênus e o próprio Marte conjuntos ao eixo nodal (nodos norte e sul da lua). Em seguida, entram as oposições de Mercúrio, no início de julho e o Sol, encerrando o comboio com uma lua cheia ao final do mês (27/07). Com Mercúrio, o mensageiro do zodíaco, também estacionando para mais um retrógrado, desta vez no signo de Leão, teremos um período em que vamos idealizar objetivos e continuar a avançar com metas estabelecidas, possivelmente com grande entusiasmo, resultando em revisões necessárias sobre os fatos que percebíamos como concretos e que enfrentam um choque com a realidade material que nos limita.

Temos então a oportunidade de refletir sobre os eventos do mês corrente pelas semanas que o seguem, sabendo que Mercúrio se manterá em Leão até setembro, nos ajudando a estabelecer novos padrões para nos expressarmos e processarmos a reação de pessoas alheias à nossa condição acerca de nossa individualidade. Devemos focar em objetivos tangíveis, que façam sentido para nosso desenvolvimento pessoal, especialmente se tais objetivos nos fornecerem expansão de pensamento, ou seja, mudanças de perspectiva diante de novas informações, e resolução de questões ligadas às áreas regidas por Mercúrio (procurem pelas casas regidas por Gêmeos e Virgem) em nossos mapas natais.

Não será um momento para baixar a guarda ou para nos mantermos seguro dentro de nossos padrões enraizados, pois nenhuma das opções nos traz firmeza para enfrentar o que está por vir. Apenas ações premeditadas, baseadas em fatos e não só em ideais, nos trarão satisfação, mesmo que os resultados sejam diferentes do planejado (e provavelmente o serão!).

É importante manter em mente que tudo o que está ocorrendo é parte de um ciclo maior sem precedentes. Quaisquer atitudes e novas experiências que enriqueçam podem dar para seus objetivos uma nova direção. Estejamos, então, abertos a questionar nossas próprias convicções, visando a melhor forma de lidar de maneira positiva com trânsitos tão intensos e renovadores.

Quer acompanhar todos esses efeitos dos astros sobre o seu signo ascendente? Não perca no próximo domingo o primeiro horóscopo semanal da Bixaria.

 

Texto por: Arthur Ferragini,
David Fischer & Luciana Gameiro